OIA prevê queda no excedente global de açúcar em 13/14

terça-feira, 13 de maio de 2014 12:07 BRT
 

LONDRES (Reuters) - A Organização Internacional do Açúcar (OIA) prevê que o excedente global de açúcar caia para 4,4 milhões de toneladas em 2013/14, contra 11,2 milhões de toneladas na temporada anterior, com o mercado global se movendo para uma situação de maior equilíbrio.

A OIA também previu em seu mais recente relatório trimestral, divulgado nesta terça-feira, que a produção de cana do centro-sul brasileiro cairá para 575 milhões de toneladas em 2014/15, ante 597 milhões em 2013/14, devido ao verão mais seco em muitas décadas no maior produtor global.

A produção de açúcar do centro-sul do Brasil em 14/15, segundo a OIA, será de 33,4 milhões de toneladas, contra 34,3 milhões de toneladas em 2013/14.

"Uma queda na produção de açúcar no centro-sul durante 2014/15 vai marcar outro período de estagnação da produção de açúcar no país", disse o relatório da OIA.

"A estagnação pode durar pelo menos até a temporada de 2015/16", acrescentou.

Segundo a OIA, "o número de usinas em operação no Brasil está encolhendo, as ferramentas disponíveis do governo para ajudar a indústria são menos evidentes, e muitos dos grandes grupos de moagem estão relatando aumento da dívida."

A OIA disse que o mercado global de açúcar poderia se mover para o nível equilibrado em 2014/15, se a sua previsão para a produção estável se materializar.

"Se a produção mundial permanecer estável no nível estimado para esta temporada, a economia mundial de açúcar estará em equilíbrio", disse.

Para 2013/14, a OIA colocou a produção mundial de açúcar em 181,1 milhões de toneladas, o segundo maior nível da história.

A queda na produção da Índia e da produção do Brasil, bem como reduções significativas atualmente projetadas para a UE, a Ucrânia e o México, no lado negativo, e a produção recorde na Tailândia e no Paquistão, bem como um aumento de 400 mil toneladas na produção da China, parecem agora ser as principais características da oferta em 2013/14, disse o relatório

(Por David Brough)