Volume do mercado de DIs cai ao menor nível em 4 anos

terça-feira, 13 de maio de 2014 13:39 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - A convicção de que a Selic vai parar de subir muito em breve e as incertezas eleitorais que devem marcar o segundo semestre esvaziaram o volume no mercado de DIs aos menores níveis em quase quatro anos, deixando investidores receosos diante da possibilidade de movimentos exagerados e imprevisíveis.

Segundo analistas, esse cenário deve durar ainda mais alguns meses, com o mercado voltando a crescer à medida que as eleições agendadas para outubro se aproximam e atraem de volta os investidores.

"Um mercado sem liquidez abre espaço para manipulação e todo mundo fica com medo de entrar", afirmou o tesoureiro-chefe do banco Daycoval, Gustavo Godoy. "Você consegue puxar a curva negociando volumes muito pequenos, o mercado fica perigoso", acrescentou.

De acordo com dados da Reuters, a média móvel de 30 dias do volume do mercado de juros futuros ficou em cerca de 813 mil contratos no fechamento de segunda-feira, perto das mínimas desde meados de outubro de 2010, quando chegou a 750 mil, justamente no pleito que elegeu a presidente Dilma Rousseff.

A queda expressiva na liquidez também é perceptível nos contratos futuros de juros em aberto na BM&F. Com base no fechamento de cada mês, a cifra tem oscilado na casa de 12 milhões durante todo este ano.

Em 2013, em média e no fechamento de cada mês, o número de contratos em aberto oscilou em torno de 15 milhões no ano passado.

Parte desse marasmo é atribuída por analistas ao fato de que a eleição presidencial no Brasil ainda está longe e com a disputa mostrando-se cada vez mais acirrada, deixando os investidores inseguros em fazer grandes apostas.

"Por enquanto, isso faz com que todo mundo tenha cautela, mas a expectativa é que, à medida que a eleição se aproxime, o mercado comece a brigar entre si", afirmou o economista da área de análises da XP Investimentos, Daniel Cunha.   Continuação...