Demanda doméstica e clima impulsionam crescimento da Alemanha no 1º tri

quinta-feira, 15 de maio de 2014 07:24 BRT
 

BERLIM (Reuters) - O crescimento econômico alemão dobrou para a taxa mais rápida em três anos nos três primeiros meses de 2014, impulsionado pela demanda doméstica e pelo clima ameno, mas a expectativa é que a expansão desacelere diante das incertezas sobre o cenário global.

Dados preliminares da Agência de Estatísticas mostraram que a maior economia da Europa cresceu 0,8 por cento na comparação trimestral e 2,5 por cento na base anual no período entre janeiro e março.

"Impulsos positivos vieram...exclusivamente de dentro do país", disse a Agência de Estatísticas em comunicado. "Em contraste, o comércio exterior freou o crescimento econômico."

O ministro das Finanças, Wolfgang Schaeuble, afirmou após a divulgação dos dados que tudo indica uma retomada econômica generalizada. O governo alemão tem dito que espera que a demanda doméstica conduza a um crescimento de 1,8 por cento neste ano, ante 0,4 por cento no ano passado, mas que a expansão será mais lenta do que no primeiro trimestre.

Economistas também preveem que o crescimento desacelere marcadamente no segundo trimestre, em parte porque o clima ameno impulsionou a construção e porque as empresas reduziram os estoques.

(Reportagem de Annika Breidthardt e Madeline Chambers)