França reforça posição sobre oferta da GE por Alstom com lei sobre aquisições

quinta-feira, 15 de maio de 2014 08:39 BRT
 

PARIS (Reuters) - O governo francês emitiu um decreto permitindo que bloqueie aquisições de empresas francesas por companhias estrangeiras em setores "estratégicos", criando um potencial obstáculo para a oferta de 16,9 bilhões de dólares da General Electric pelos ativos de energia da Alstom.

O decreto, que amplia uma lei de 2005 relacionada à indústria de defesa e outras, foi publicado no diário oficial da França nesta quinta-feira e dá ao Estado poderes muito maiores para bloquear aquisições por firmas estrangeiras nos setores de energia, água, transporte, telecomunicações e saúde.

Qualquer aquisição do tipo agora necessitará da aprovação do ministro da Economia, segundo o decreto.

O ministro atual, Arnaud Montebourg, tem criticado abertamente o acordo proposto entre Alstom e GE por receios acerca do impacto sobre o prestígio e empregos da França, e tem defendido em vez disso uma fusão europeia com a alemã Siemens.

"Com essa nova lei, o risco de que a GE vá reconsiderar sua posição aumenta, já que o governo francês buscará concessões adicionais sobre um acordo entre GE e Alstom, visando ganhar um apoio maior do eleitorado", disseram analistas da Berenbg em uma nota de pesquisa, acrescentando que isso abre a porta para um acordo alternativo com a Siemens.

"Com esta reforma, a França terá uma estrutura jurídica clara e eficiente comparável à existente em várias outras economias abertas dentro e fora da Europa", disse Montebourg em um comunicado.

(Por Jean-Baptiste Vey e Benjamin Mallet)