Plano da Etihad prevê que Alitalia volte a lucrar até 2017, diz fonte

quinta-feira, 15 de maio de 2014 09:35 BRT
 

ROMA (Reuters) - A deficitária companhia aérea italiana Alitalia [CAITLA.UL] pode voltar à lucratividade até 2017, disse uma fonte do governo italiano nesta quinta-feira, citando uma proposta da Etihad Airways como parte das conversas de fusão em andamento entre as duas companhias aéreas.

A Alitalia foi mantida solvente por um pacote de resgate de 500 milhões de euros (685,52 milhões de dólares) arquitetado pelo governo no ano passado, mas precisa encontrar uma parceira com caixa rapidamente para renovar sua rede de voos ou, do contrário, arrisca ter que deixar seus aviões no solo.

A Etihad, de Abu Dhabi, tem examinado a contabilidade da Alitalia para um possível investimento desde o começo do ano. Mas a perspectiva de grandes cortes de funcionários na Alitalia e a dívida da companhia de ao menos 800 milhões de euros têm sido grandes obstáculos nas conversas.

Segundo a fonte, a mais recente proposta da Etihad prevê que a Alitalia alcance um lucro líquido de 108 milhões de euros até 2017, receitas de 3,66 bilhões de euros e lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização de 526 milhões de euros.

"Essa é a base para as negociações", disse a fonte à Reuters. "Os números ainda podem mudar consideravelmente no curso das conversas".

A fonte acrescentou também que os bancos credores da Alitalia, incluindo os dois maiores bancos italianos Intesa Sanpaolo e UniCredit, se ofereceram para converter dois terços da dívida da companhia aérea e dar uma baixa contábil no restante.

O plano da Etihad pede que bancos registrem baixa contábil de até 560 milhões de euros da dívida da Alitalia e estendam o vencimento de 140 milhões de euros em dívida sênior.

O Intesa não quis se pronunciar. O UniCredit, a Alitalia e a Etihad não puderam ser encontrados de imediato para comentar o assunto.

Por Alberto Sisto, Paola Arosio e Stanley Carvalho