ENTREVISTA-Preço da soja estimula compras antecipadas de adubo em MT, diz Yara

sexta-feira, 16 de maio de 2014 12:34 BRT
 

Por Fabíola Gomes

SÃO PAULO (Reuters) - Com os preços firmes da soja, a relação de troca do produto com o fertilizante está estimulando negócios antecipados em Mato Grosso, maior produtor brasileiro da oleaginosa, onde os agricultores já compraram grande parte de suas necessidades do insumo para plantio a partir de meados de setembro.

A afirmação é do presidente da divisão brasileira da norueguesa Yara, maior produtora de fertilizantes do mundo, que atingiu a liderança no Brasil, com fatia de 25 por cento do mercado, após a compra de ativos da Bunge.

"Continua forte o movimento de antecipação. Então está vendendo adubo lá em Mato Grosso para usar em setembro... E o Estado, provavelmente, já comprou quase 70 por cento do fertilizante que ele vai usar no segundo semestre", disse Lair Hanzen, presidente da Yara Brasil, em entrevista à Reuters.

Segundo ele, a relação de troca está favorável para praticamente todas as principais culturas, mas principalmente para a soja, que responde por mais de 40 por cento das vendas totais de fertilizantes no país.

No caso da soja, a relação de troca atingiu 18 sacas de 60 kg por tonelada de fertilizante em abril, contra 22 sacas nesta mesma época do ano passado, disse ele, citando levantamento feito pela Agroconsult em importante praça de referência em Mato Grosso.

Os fertilizantes respondem, em média, por cerca de 30 por cento do custo de produção da oleaginosa, acrescentou.

As vendas antecipadas em ritmo acelerado indicam boas perspectivas para a próxima safra do Estado, que responde por cerca de um terço da produção brasileira.

"A antecipação já vinha crescendo muito, e isso não mudou... Então, o fato de não ter caído a antecipação já é um bom sinal para a agricultura", disse.   Continuação...