Siemens pode fazer oferta formal à Alstom no início desta semana

domingo, 18 de maio de 2014 15:50 BRT
 

Por Arno Schuetze e Noah Barkin e Natalie Huet

FRANKFURT/BERLIM/PARIS, 18 Mai (Reuters) - A alemã Siemens está trabalhando em uma oferta formal pelos negócios de energia da Alstom que poderia ocorrer tão cedo quanto nesta semana e ver a França assumir uma participação em um grupo resultante focado no setor ferroviário, disseram fontes próximas às negociações à Reuters.

A Alstom já está em negociações com o conglomerado dos Estados Unidos General Electric sobre uma oferta de mais de 12,35 bilhões de euros (16,9 bilhões de dólares) pela unidade de energia, sendo que a revisão da oferta termina em 2 de junho. Entretanto, sob forte pressão política, a empresa abriu suas informações para a Siemens para que a empresa alemã também possa propor uma oferta se tiver interesse.

Algumas fontes familiarizadas com as negociações lançaram dúvidas sobre se a Alstom estaria interessada no novo acordo esboçado pela Siemens. Ainda assim, uma oferta rival daria ao governo francês mais força em relação à GE depois que ele deu a si mesmo o poder de bloquear as aquisições estrangeiras em "setores estratégicos".

O governo francês criticou repetidamente a oferta da GE, favorecendo a aliança entre as empresas em vez de uma venda direta de braço de energia da Alstom - que responde por 70 por cento da receita do grupo - o que deixaria o grupo francês com apenas o seu negócio menor de transporte.

O governo francês também tem defendido uma alternativa aliança europeia entre Alstom e Siemens. Inicialmente, porém, o governo enfrentou a relutância de ambas as empresas, rivais de longa data.

Mas depois de várias viagens a Paris pelo presidente da Siemens Joe Kaeser e quase duas semanas de acesso aos dados da Alstom, a Siemens se animou com a ideia e foi refinando sua tentativa de torná-la mais atraente para a Alstom e para o governo francês, disseram as fontes.

"A Siemens está apresentando o seguinte caso: irá criar campeões nacionais em trens e energia. Tudo será mantido na Europa. Ela ofereceu alguns elementos novos que adoçam a sua proposta", disse uma fonte familiarizada com o negócio proposto.

Em uma breve carta à Alstom no final do mês passado, a Siemens havia esboçado uma proposta no valor de 14,5 bilhões de dólares, oferecendo parte de seu negócio ferroviário mais dinheiro em troca de ativos de energia da Alstom.   Continuação...