China pode não cumprir meta de comércio pelo 3º ano, diz governo

terça-feira, 20 de maio de 2014 09:17 BRT
 

Por Kevin Yao

PEQUIM (Reuters) - A China pode não cumprir sua meta de crescimento do comércio pelo terceiro ano consecutivo em 2014, uma vez que custos trabalhistas mais altos e uma demanda global mais fraca afetaram o que tem sido um dos principais motores da economia, afirmou uma autoridade do Ministério do Comércio nesta terça-feira.

O governo tem uma meta de crescimento de 7,5 por cento em exportações e importações neste ano. Após um começo fraco em 2014, o ministério disse que as exportações e importações combinadas precisam crescer a uma taxa anual média de 11,3 por cento a cada mês de maio a dezembro.

"A situação do comércio exterior é complexa e sombria este ano. Alcançar a meta anual de 7,5 por cento é uma tarefa muito árdua", disse o chefe do departamento de comércio exterior no Ministério do Comércio, Zhang Ji, em uma coletiva de imprensa.

"A recuperação econômica dos países desenvolvidos permanece lenta enquanto que o crescimento das economias emergentes está se enfraquecendo", disse Zhang.

A China não alcançou suas metas de crescimento de 8 por cento em 2013 e 10 por cento em 2012.

O crescimento econômico anual desacelerou a 7,4 por cento no primeiro trimestre, aumentando o risco de que a China pode não atingir sua meta de crescimento econômico --de 7,5 por cento para 2014-- pela primeira vez em 15 anos.

Na semana passada, o governo chinês anunciou uma série de medidas para sustentar o setor comercial, incluindo mais isenções fiscais, garantias de crédito e opções de hedge cambial a seus exportadores.

Zhang disse que o ministério montou uma força-tarefa especial para implementar as medidas, com a maior parte a ser feita em maio e junho.

O comércio exterior da China cresceu a uma taxa anual de 15,9 por cento entre 1978 e 2013, respondendo por um quinto do crescimento econômico nos últimos anos e criando milhões de empregos, disse Zhang, acrescentando que o setor emprega diretamente mais de 100 milhões de pessoas.

Zhang disse também que um período de alto crescimento para o setor de comércio da China acabou uma vez que custos mais altos reduzem sua competitividade e os Estados Unidos e a Europa tentam impulsionar seus setores de manufatura e exportação.