Acordo bilionário de gás entre China e Rússia esbarra na negociação de preço

terça-feira, 20 de maio de 2014 09:56 BRT
 

Por Alexei Anishchuk e Fayen Wong

XANGAI (Reuters) - China e Rússia fracassaram em assinar um acordo de fornecimento de gás avaliado em 400 bilhões de dólares, nesta terça-feira, apesar da crescente urgência para o Kremlin de fechar o negócio em um momento no qual enfrenta isolamento econômico e político do Ocidente por conta da crise na Ucrânia.

Negociadores de ambos os países foram incapazes de superar as diferenças sobre preço, afirmou um porta-voz do presidente Vladimir Putin em Xangai, o que significa que o contrato não foi assinado nesta terça-feira, conforme a previsão de várias pessoas do setor.

Mas ainda haverá uma chance para os dois lados fecharem um acordo antes de Putin deixar a China na quarta-feira, ou, mais provavelmente, a tempo para um fórum econômico na cidade russa de São Petersburgo no fim desta semana.

Apesar do desapontamento criado pelo acordo de energia, visto como essencial para os interesses econômicos de longo prazo de ambos os países, Putin recebeu uma rara indicação de apoio do presidente Chinês Xi Jinping sobre a crise na Ucrânia.

Em um comunicado emitido após encontro entre os dois líderes, Rússia e China pediram a redução nas tensões na Ucrânia e “meios pacíficos e políticos para resolver problemas existentes”. Os países também se referiram à crise como “doméstica”.

Em boa parte no restante do mundo, Putin é acusado de fomentar o sentimento pró-Rússia na vizinha Ucrânia, que já perdeu a península da Crimeia, anexada por Moscou.

CHINA LEVA VANTAGEM   Continuação...