Embraer vende 28 cargueiros ao Brasil em negócio de R$7,2 bi

terça-feira, 20 de maio de 2014 12:51 BRT
 

GAVIÃO PEIXOTO São Paulo (Reuters) - A Embraer assinou com o governo brasileiro nesta terça-feira o primeiro contrato para produção em série do cargueiro KC-390, em um negócio estimado em 7,2 bilhões de reais que inclui suporte logístico, peças sobressalentes e manutenção.

Segundo a Embraer, as entregas do KC-390 ao governo brasileiro começarão no fim de 2016 e se estenderão por 10 anos.

O KC-390 é um projeto conjunto da Embraer e da Força Aérea Brasileira (FAB) firmado em 2009. Além do pedido da FAB, existem intenções de compra de 32 aeronaves por Argentina, Colômbia, Chile, Portugal e República Tcheca.

A Embraer disse que a encomenda do governo brasileiro entrará em sua carteira de pedidos apenas após documentação complementar de contrato, o que deve ocorrer em 90 dias.

Logo após o anúncio do contrato com o governo brasileiro, as ações da Embraer aceleraram a alta na bolsa paulista. Às 12h48, o papel da empresa subia 1,72 por cento, a 18,94 reais, contra valorização de 0,68 por cento do Ibovespa.

Num período de 10 anos, a Embraer vê um mercado potencial de mais de 700 cargueiros do porte do KC-390, no valor de 50 bilhões de dólares.

O KC-390 é o maior avião já desenvolvido e fabricado no Brasil. O cargueiro representa uma importante diversificação de receita para a Embraer, que tem buscado ampliar o peso da aviação executiva e de defesa em seu resultado para suavizar o impacto das oscilações mais bruscas nos negócios na aviação comercial.

As aeronaves KC-390 que serão entregues à Força Aérea substituirão o C-130 Hercules, da norte-americana Lockheed Martin, atualmente na frota da FAB.

Os primeiros voos do KC-390 estão programados para o fim deste ano.

(Por Roberta Vilas Boas)