Barclays é multado em US$44 mi por fixação de preço do ouro

sexta-feira, 23 de maio de 2014 08:44 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O Barclays foi multado em 26 milhões de libras (43,8 milhões de dólares) por falhas nos controles internos que permitiram a um operador manipular a definição dos preços do ouro apenas um dia depois de o banco ter sido multado por manipulação da taxa de juros Libor em 2012.

O britânico Barclays é o primeiro banco a ser multado por tentativa de manipulação no mercado de ouro em Londres, embora uma fonte tenha dito que a multa foi um evento não recorrente, e não parte de uma investigação mais ampla sobre a manipulação do preço do ouro.

A penalidade marca um novo golpe para as tentativas do Barclays de deixar problemas passados ​​para trás.

A Autoridade de Conduta Financeira (FCA, na sigla em inglês) disse nesta sexta-feira que houve falhas no Barclays de 2004 a 2013, mas que o principal evento teria ocorrido em 28 de junho de 2012, um dia depois de reguladores dos Estados Unidos e do Reino Unido terem multado o banco em 450 milhões de dólares por tentativa de manipular a Libor.

"A falta de controle da empresa e o desrespeito do operador para com os interesses de um cliente permitiram que a reputação do setor de serviços financeiros fosse manchada novamente", disse a diretora de fiscalização e crime financeiro da FCA, Tracey McDermott.

A FCA disse que havia banido o ex-operador do Barclays Daniel James Plunkett e multado o profissional em 95.600 libras por explorar as deficiências dos sistemas do banco.

Plunkett fixou o preço a fim de evitar o pagamento de 3,9 milhões de dólares para um cliente sob uma opção, o que ampliou sua carteira própria de negociação em 1,75 milhão de dólares, disse a FCA. O banco compensou posteriormente o cliente na íntegra.

Plunkett era diretor da mesa de metais preciosos do Barclays, sendo responsável por precificar produtos vinculados ao preço dos metais preciosos e gerenciar a exposição ao risco do Barclays a esses produtos.

(Por Steve Slater e Huw Jones)