Ucrânia defende eleições, apesar da tensão; Putin promete respeitar resultados

sábado, 24 de maio de 2014 13:56 BRT
 

Por Alastair Macdonald e Sabina Zawadzki

KIEV/DONETSK (Reuters) - O governo interino da Ucrânia prometeu realizar uma eleição presidencial limpa no domingo, que reforce a ex-república soviética e mostre ao mundo que não vai se intimidar com a Rússia em meio à tensão manifestada neste sábado em confrontos entre milícias ucranianos e separatistas pró-Rússia armados.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse neste sábado que irá respeitar a escolha dos ucranianos e que trabalhará com as novas autoridades. "Moscou quer estabilidade", disse.

Na região leste, onde pelo menos 20 pessoas morreram nos últimos dias, separatistas disseram neste sábado que não reconhecerão uma eleição organizada pelas autoridades de Kiev, que segundo eles, tomaram o poder em um golpe respaldado pelo Ocidente.

Um correspondente da Reuters viu dois corpos, após cerca de três horas de combate na manhã deste sábado entre forças ucranianas de auto defesa e separatistas que defendiam um posto de controle em uma área rural da cidade industrial de Donetsk.

Combatentes a favor de Kiev fizeram uma declaração no Facebook dizendo que quatro de seus homens foram mortos e nove foram feridos.

Autoridades eleitorais temem que a violência impeça muitas pessoas vão votar.

Em entrevista a jornalistas neste sábado em São Petersburgo, Putin, disse que respeitará a eleição ucraniana.

"Vamos respeitar a escolha do povo ucraniano e trabalhar com as autoridades para sair desta eleição ", disse ele.

As potências ocidentais têm ameaçado novas sanções se Moscou impedir a realização da votação e Putin disse sexta-feira que as medidas dos Estados Unidos e da União Europeia estavam afetando a economia russa.