ENFOQUE-Aécio usará inflação como trunfo contra Dilma em campanha eleitoral

segunda-feira, 26 de maio de 2014 19:44 BRT
 

Por Tiago Pariz

SÃO PAULO (Reuters) - O pré-candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, vê na inflação um trunfo na campanha eleitoral, depois que a alta de preços atingiu em cheio o eleitorado cativo do governo da presidente Dilma Rousseff nos últimos meses.

Ao centrar fogo na inflação, o senador por Minas Gerais vai aproveitar para bater na tecla de que o "intervencionismo" e a "ineficiência" da administração petista contribuíram para desarranjar a economia, além de impulsionar a alta dos preços.

A arma para atiçar a insatisfação da população e atrair o eleitorado é apresentar exemplos de piora de qualidade de vida ao mostrar corrosão do poder de compra da moeda nos últimos quatros anos e detalhar os bens e serviços que estão sendo corrigidos em ritmo bem superior do que os índices oficiais.

A primeira parte da estratégia é buscar apresentar o que os tucanos chamam de "inflação verdadeira" para cada setor da sociedade.

"Nós vamos mostrar que o IPCA (índice oficial de preços) é uma média e não reflete a inflação de fato de cada brasileiro", disse um aliado do senador que participa das discussões sobre a estratégia da campanha.

Desde o início do governo Dilma, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) gira em torno de 6 por cento. Em abril, o IPCA acumulado em 12 meses estava em 6,28 por cento, muito próximo do teto da meta do governo, que é de 4,5 por cento com 2 pontos percentuais de tolerância.

Para o PSDB, o índice oficial de inflação só não é maior devido ao represamento dos preços administrados, como energia, combustíveis e transportes. "Quando excluímos essas áreas, o índice explode para dois dígitos", disse o aliado, em tom um pouco de exagero.

Para trazer a numeralha ao cotidiano do eleitor, os tucanos vão recorrer a exemplos de preços que subiram mais do que o IPCA, como os de alimentos.   Continuação...