Ações europeias fecham estáveis, mas bancos ajudam bolsa portuguesa

quarta-feira, 28 de maio de 2014 14:33 BRT
 

Por Francesco Canepa

LONDRES (Reuters) - As ações europeias fecharam perto da estabilidade nesta quarta-feira, mas a bolsa portuguesa avançou, impulsionada por sinais otimistas dos maiores bancos listados do país.

A maioria dos principais índices acionários do continente, contudo, terminou estável ou em leve queda, embora ainda perto das máximas em anos, pressionados pelo declínio dos papéis da Hugo Boss e do grupo Ahold.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações da Europa, fechou com variação negativa de 0,07 por cento, após atingir a máxima em mais de seis anos na terça-feira.

O índice tem sido amparado por dados econômicos melhores nos Estados Unidos e por expectativas de mais expansão monetária pelo Banco Central Europeu (BCE).

Mas o índice português PSI20 avançou, impulsionado pelo ganho de 4 por cento da ação do segundo maior banco do país, o Millennium BCP. O banco anunciou que pagou empréstimos estatais que detinha sob a forma de bônus conversíveis em ações.

O movimento, que tinha que ser aprovado pelo banco central português, foi interpretado como sinal de confiança na saúde do banco antes da avaliação de qualidade de ativos pelo BCE.

"Mostra que o BCP está numa situação confortável", disse o analista do Caixa Banco de Investimento André Rodrigues. "Significa que o banco central de Portugal considera que o BCP tem capital suficiente não só para pagar aqueles 400 milhões de euros mas também para ser aprovado no teste", acrescentou.

Por outro lado, o papel da rede de supermercados holandesa Ahold perdeu 3,3 por cento e figurou entre as maiores quedas do FTSEurofirst, após divulgar margens mais baixas nos EUA e na Holanda, seus principais mercados.   Continuação...