Baosteel ganha aprovação da Austrália em oferta por Aquila

quinta-feira, 29 de maio de 2014 08:11 BRT
 

SYDNEY/MELBOURNE (Reuters) - O governo australiano liberou nesta quinta-feira uma oferta de 1 bilhão de dólares da estatal chinesa Baosteel Resources pela mineradora Aquila Resources, removendo o único entrave regulatório para o negócio.

A aprovação do Conselho Australiano de Revisão de Investimentos Estrangeiros coloca a Baosteel e sua parceira na proposta, a empresa ferroviária Aurizon Holdings, um passo mais perto de assumir a Aquila, o que dará às empresas fatias em um projeto de mina de minério de ferro, ferrovia e porto, além de uma mina de carvão, avaliados em 7 bilhões de dólares.

O maior obstáculo para o negócio, que avalia a Aquila em 1,42 bilhão de dólares australianos, é o apoio de seu fundador, Tony Poli, que detém uma participação de 29 por cento na empresa. Para a aquisição seguir em frente, a oferta precisa da aprovação de pelo menos metade da base acionária da Aquila.

Poli ainda tem que fazer comentários públicos sobre a oferta.

A Baosteel e a Aurizon planejam enviar uma proposta formal aos acionistas na primeira semana de junho, após a qual a Aquila terá 14 dias para responder.

A Baosteel já detém uma participação de 20 por cento na Aquila. Junto com a Aurizon, está oferecendo 3,40 dólares australianos por ação, um prêmio de 39 por cento sobre o preço do papel da Aquila no dia anterior à data da divulgação inicial da oferta pública de aquisição, no início de maio.

A Baosteel, segunda maior siderúrgica da China, quer a Aquila em função de suas fatias de 50 por cento na mina de carvão de coque Eagle Downs e no projeto de minério de ferro de West Pilbara, na geladeira desde 2012.

O projeto de West Pilbara é de co-propriedade da gigante sul-coreana de aço Posco e do investidor baseado nos Estados Unidos AMCI. Ambos têm dito que permanecem compromissados com o projeto. Já o projeto de carvão Eagle Downs é de co-propriedade da brasileira Vale.

(Por Byron Kaye e Sonali Paul)