Índice perde quase 2% e devolve ganhos acumulados em maio

sexta-feira, 30 de maio de 2014 17:56 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou em queda de quase 2 por cento nesta sexta-feira, o que levou seu principal índice a anular ganhos acumulados em maio e pôr fim a uma série de dois ganhos mensais consecutivos.

Para o mês que vem, que será marcado pela Copa do Mundo no Brasil, especialistas preveem poucos catalisadores de novas altas e baixo volume de negócios nos dias de jogos da seleção brasileira.

O Ibovespa caiu 1,91 por cento nesta sexta, a 51.239 pontos, seu menor patamar em um mês e meio. O giro financeiro do pregão somou 8,8 bilhões de reais. Na semana, o índice acumulou baixa de 2,64 por cento e, em maio, de 0,75 por cento.

Em maio, a bolsa rendeu menos que o CDI, cujo rendimento acumulado foi de 0,82 por cento.

A bolsa foi arrastada para baixo neste pregão pela queda superior a 3 por cento das ações da mineradora Vale, após o preço do minério de ferro na China fechar o mês com a sexta baixa consecutiva. Foi a mais longa trajetória de queda já registrada, diante da ampla oferta da commodity e preocupações com a desaceleração da economia chinesa.

A China continuará como um dos principais itens no radar do mercado em junho e ainda poderá pesar sobre a Vale, cujo papel preferencial tem o quinto maior peso do Ibovespa.

"Eventuais melhoras na bolsa vão depender ou de uma pesquisa eleitoral muito favorável para quem quer a oposição no poder ou de números bons da China com alta no preço do minério. Mas não é o que deve acontecer", disse o especialista em renda variável Rogério Oliveira, da Icap Brasil.

Para Oliveira, é possível que o Ibovespa registre alguma recuperação depois de romper alguns suportes técnicos no final de maio, mas dificilmente deve superar em junho as máximas do mês, na faixa dos 54 mil pontos.   Continuação...