Nova Caledônia autoriza retomada de operação em mina de níquel da Vale

segunda-feira, 2 de junho de 2014 09:22 BRT
 

SYDNEY (Reuters) - Autoridades do arquipélago de Nova Caledônia, na Oceania, disseram nesta segunda-feira que autorizaram a retomada condicional de operações de níquel da Vale, que foram suspensas mais de três semanas atrás, depois de um vazamento de efluentes em um rio.

O vazamento provocou protestos violentos por jovens que causaram mais de 20 milhões de dólares em danos às instalações, equipamentos e veículos, e deixou três policiais feridos.

A polícia ficou em estado de alerta uma vez que os manifestantes permaneceram perto da mina.

"A situação é calma e alguns (manifestantes) ainda estão acampados perto da usina", disse um porta-voz do governo local.

Alguns manifestantes, que ficaram frustrados com a falta de resposta de chefes indígenas Kanak em relação ao vazamento de produtos químicos, querem o fechamento definitivo da mina --algo que a Vale afirmou na semana passada que não estava sobre a mesa.

A Vale não pôde ser imediatamente contatada para comentar o assunto.

O governo da ilha administrada pela França ressaltou que este é o sexto grande incidente na unidade de 6 bilhões de dólares Goro, da Vale, e definiu normas mais rígidas de segurança como condição para retomar as operações da mina.

As condições também incluem uma auditoria completa de gestão da segurança e da criação de um comitê de vigilância multipartidário.

A Vale, segunda maior mineradora de níquel do mundo, emprega tecnologia de alta pressão e ácidos para recuperar o níquel a partir dos abundantes minérios de laterita da ilha.   Continuação...