Iveco reformula caminhão pequeno para crescer na Europa e rivalizar Mercedes

quarta-feira, 4 de junho de 2014 11:09 BRT
 

VENARIA REALE, Itália, 4 Ju (Reuters) - A fabricante de caminhões e ônibus Iveco, uma unidade da CNH Industrial, está apostando em uma completa renovação de seu caminhão pequeno Daily para ganhar participação de mercado na Europa, aproveitar a demanda em recuperação e rivalizar a Mercedes, disse o chefe da marca na terça-feira.

A Iveco investiu 500 milhões de euros (681 milhões de dólares) para refazer o importante caminhão pequeno, reprojetando 80 por cento de seus componentes, o deixando mais leve, mais eficiente e mais fácil de carregar e conduzir, disse Lorenzo Sistino no lançamento do Daily.

O novo Daily é o primeiro passo de um plano de cinco anos lançado pela CNH Industrial no mês passado. A controladora prometeu investir 11,7 bilhões de dólares em novos produtos e pesquisa e desenvolvimento em todo o grupo, para elevar as vendas líquidas de seu maquinário comercial, agrícola e de construção em 17 por cento até 2018.

A Iveco usará o novo modelo para crescer na Alemanha, no Reino Unido e na Polônia e para focar no mercado na Turquia e na Rússia. O Daily também será vendido na Ásia e na América Latina, mas não nos Estados Unidos.

"Queremos aumentar nossa presença no centro e no norte da Europa", disse Sistino. "O concorrente que temos de atacar nas regiões é a Sprinter da Mercedes".

As fabricantes europeias de caminhões pesados estão saindo de uma queda estendida, com cada vez mais evidências de que a necessidade de substituir frotas em amadurecimento está finalmente levando operadoras de caminhões a investir.

Mesmo assim, a unidade de veículos comerciais da CNH Industrial divulgou um prejuízo operacional para janeiro a março, atingida por uma grande queda na demanda no Brasil e uma interropção da produção na Venezuela.

Sistino disse que a perspectiva para o mercado na América Latina permanece fraco e volátil. O grupo vai se concentrar em manter sua fatia de mercado na região, disse ele, mas não há planos para reabrir a fábrica na Venezuela no momento.

(Por Agnieszka Flak)