China está confiante de que fez o suficiente para manter expansão acima de 7%

quinta-feira, 5 de junho de 2014 08:39 BRT
 

Por Kevin Yao

PEQUIM (Reuters) - A China aumentou os esforços para impedir que o crescimento econômico trimestral caia na direção de 7 por cento e acredita que tenha tido sucesso por enquanto após sinais preliminares de que uma rápida desaceleração tenha sido reprimida, disseram fontes envolvidas em discussões de política.

Isso deve dar tempo ao governo e ao banco central ao menos até a divulgação dos dados de crescimento do segundo trimestre, no próximo mês, para decidir se a economia precisa de mais suporte.

Duas medidas de política na última semana ampliaram significativamente o suporte à economia sem quebrar promessas de evitar grandes estímulos, através da aceleração dos gastos do governo e um segundo corte direcionado do compulsório para alguns bancos.

As medidas parecem ter o objetivo de manter o crescimento perto de 7,2 por cento, o que o premiê Li Keqiang tem dito ser necessário para sustentar o crescimento dos empregos, sem que o banco central corte a taxa de compulsório de forma geral ou reduzir a taxa de juros.

"Não há necessidade de tal medida desde que possamos manter taxas de crescimento do PIB trimestral de 7,2-7,3 por cento, o que pode ser um ponto crítico para mudança de política", disse Wang Jun, economista sênior do Centro da China para Mudanças Econômicas Internacionais, um instituto bem conectado em Pequim. "Mas dados de crescimento para o segundo trimestre não parecem tão ruins."

O crescimento anual desacelerou para 7,4 por cento no primeiro trimestre, e alguns dados fracos para abril levantaram preocupações de que o ímpeto estaria sendo perdido mais rápido do que o esperado.

O governo normalmente solicita opiniões e propostas de importantes institutos antes de tomar decisões de política.