Captações de renda fixa e fusões devem liderar mercado de capitais no Brasil em 2014

quinta-feira, 5 de junho de 2014 13:00 BRT
 

SÃO PAULO, 5 Jun (Reuters) - As captações de recursos com instrumentos de renda fixa e a compra de participações de empresas devem liderar as operações de mercado de capitais no Brasil em 2014, disse nesta quinta-feira o presidente sênior do JP Morgan no Brasil, José Berenguer.

"Há outras oportunidades boas para quem tem visão de longo prazo, mas por enquanto o mercado está melhor para renda fixa e fusões", disse Berenguer à Reuters, após participar de evento da Febraban em São Paulo.

O executivo disse enxergar desafios para o país, em meio ao cenário macroeconômico adverso, a proximidade das eleições e das férias de verão no Hemisfério Norte, mas que a melhora das condições para outros segmentos do mercado brasileiro, como em renda variável, depende também de evolução no plano internacional.

Mais cedo, durante encontro com representantes da comunidade financeira, Berenguer afirmou que a demanda por recursos para a enorme quantidade de obras de infraestrutura previstas pode criar oportunidades de investimento de longo prazo, já que o BNDES não deve conseguir suportar esse movimento sozinho.

"O BNDES tem um papel importante e continuará tendo, mas não pode ser o único", disse, durante a apresentação. "Precisa de dinheiro de longo prazo; apetite o mercado tem", completou.

Berenguer descartou que o mercado imobiliário brasileiro esteja vivendo uma bolha, se considerar o aparato regulatório conservador no país e o nível médio de financiamento do valor dos imóveis, mas que os preços atuais podem ser altos demais.

"O metro quadrado em algumas regiões está caríssimo, mesmo para padrões mundiais", disse. "Minha formação de trader me diz que eu não deveria comprar na alta".

(Por Aluísio Alves)