June 11, 2014 / 5:24 PM / 3 years ago

Mercado aposta em Ecorodovias em leilão da Tamoios, CCR pode ameaçar

5 Min, DE LEITURA

SÃO PAULO (Reuters) - Após participar de seis leilões de rodovias federais e não vencer nenhum, a Ecorodovias é indicada como uma das favoritas para vencer a concorrência na Parceria Público Privada (PPP) da rodovia Tamoios (SP), mas poderá enfrentar fortes disputas por um ativo considerado de grande atratividade.

A rodovia liga Vale do Paraíba ao litoral Norte do Estado, o que daria grandes sinergias à Ecorodovias que já administra o sistema Imigrantes-Anchieta, que liga a capital paulista à baixada santista.

A empresa não foi tão agressiva quanto rivais nos certames de rodovias federais, o que para muitos analistas indicava sua preferência pela Tamoios, porém, a rodovia também traz sinergias para outras empresas, como a CCR que administra a Dutra, entre São Paulo e Rio de Janeiro e que possui intersecção com a rodovia paulista.

"A Ecorodovias vem sendo conservadora (nos últimos leilões) e é público o interesse dela pela Tamoios", afirmou Renato Hallgren, analista do BB Investimentos, acrescentando que a empresa se beneficiaria de sinergias com o Sistema Imigrantes-Anchieta, dando a companhia menor necessidade de investimento em centro operacional, por exemplo.

"Vejo a CCR como uma concorrente mais forte, mas ela também está mais focada nos ativos que já ganhou", completou ele. No ano passado, a empresa venceu os leilões da rodovia BR-163 (MS) e do aeroporto de Confins feitos pelo governo federal, que juntos têm investimentos estimados em mais de 9 bilhões de reais no período de concessão.

Tanto a CCR, quanto a Ecorodovias já demonstraram publicamente ter interesse na rodovia Tamoios.

Ainda assim o analista não descarta surpresas, como ocorreu no ano passado com a Odebrecht Transport, que logo após vencer a concessão pelo aeroporto de Galeão (RJ), derrotando entre os concorrentes o consórcio da Ecorodovias, levou a "rodovia da soja", que consiste no trecho da BR-163 no Mato Grosso.

O analista Henrique Florentino, da Um Investimentos, considera que a Ecorodovias deve ser mais agressiva nessa disputa, mas ressalta que outras empresas, além da CCR, também devem participar intensamente.

"A própria Ecorodovias no fim de 2013 já deu declarações de que estuda a Tamoios há mais de um ano. Faz sentido ela ser mais agressiva. Mas a gente não descarta que seja uma das rodovias com maior concorrência. Mesmo empresas que já ganharam (outros leilões), como Triunfo e CCR, já demonstraram interesse", disse ele.

A sessão pública para seleção e contratação da PPP está marcada para 18 de junho, na sede da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

Patrocinada

A operação será feita na modalidade concessão patrocinada, na qual as tarifas que serão cobradas dos usuários não serão suficientes para cobrir os investimentos feitos pelo operador, e por isso o Estado fará repasses anuais para que a empresa vencedora não tenha prejuízos e para que não se cobre dos usuários uma tarifa de pedágio impagável.

Apesar de considerar que os investimentos serão altos na rodovia, Hallgren, do BB Investimentos, considera que a Ecorodovias tem condições de financiar o projeto, assim como outras empresas do setor. "Todas as concessionárias tiveram disciplina de capital e estão com alavancagem baixa."

Já Yannick Bergamo, analista do Banco Fator, ressaltou que não há mais leilões de rodovias marcados para este ano, o que deve dar destaque para a disputa pela Tamoios.

"É possível que haja apetite pela Tamoios, porque depois está incerto quais leilões vão ocorrer", disse. Após Tamoios, a expectativa ficará sobre a Ponte Rio-Niterói, cuja concessão atualmente da CCR vence no início do próximo ano. O ministro dos Transportes, Cesar Borges, garantiu que a ponte de 13 quilômetros de extensão será alvo de leilão ainda neste ano.

Apesar de acreditar em interesse das empresas do setor pela rodovia, Bergamo não vê forte agressividade nas propostas já que companhias já se comprometeram com investimentos em outros ativos obtidos recentemente.

O vencedor da disputa em São Paulo terá de duplicar o trecho de serra da Tamoios e ficará responsável pelos serviços de operação, manutenção e conservação da rodovia dos trechos de planalto e serra, além dos contornos de Caraguatatuba e São Sebastião.

A concessão patrocinada na modalidade de PPP prevê a implantação de três praças de pedágio, duas delas no trecho de planalto e outra no contorno de Caraguatatuba, no litoral, informou a Artesp.

O valor da tarifa por quilômetro em pista dupla será de 0,108 real, sendo que a concessão terá prazo de 30 anos. Estima-se investimentos de 3,9 bilhões de reais, segundo edital do certame.

O critério de julgamento da licitação para contratação desta Parceria Público-Privada será o de menor valor de contraprestação ofertada anual, a parcela que será paga pelo poder concedente ao parceiro privado.

Edição Alberto Alerigi Jr.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below