Bovespa fecha com 4a alta seguida e alcança 55 mil pontos após pesquisas

quarta-feira, 11 de junho de 2014 18:16 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa subiu pela quarta sessão consecutiva nesta quarta-feira, na contramão dos mercados externos, repercutindo novas pesquisas de intenção de voto que apontaram para uma disputa para presidência da República mais acirrada em outubro.

O Ibovespa subiu 0,91 por cento, a 55.102 pontos, maior nível de fechamento desde 23 de outubro. O giro financeiro do pregão totalizou 7,4 bilhões de reais.

Com mais uma sessão positiva, o índice passou a acumular alta de 6,87 por cento nos últimos quatro pregões.

"O governo atual vem perdendo popularidade e o mercado vem galgando maiores patamares, escorado na entrada de dinheiro de fora", disse o sócio-diretor da AZ Investimentos, Ricardo Zeno.

Pesquisa do Ibope divulgada na terça-feira mostrou a presidente Dilma Rousseff (PT) com 38 por cento das intenções de voto e seu principal adversário, Aécio Neves (PSDB), com 22 por cento. O último levantamento do Ibope mostrava Dilma com 40 por cento, seguida por Aécio, com 20 por cento.

Levantamento do instituto Vox Populi divulgado nesta quarta-feira mostrou manutenção de Dilma com 40 por cento e avanço de Aécio de 16 para 21 por cento das intenções de voto, mas a pesquisa do Ibope recebeu mais atenção de investidores.

Alguns participantes do mercado já apostam na vitória de Aécio Neves, apesar da manutenção da liderança por Dilma. "Achamos agora que é provável que Dilma perca para Aécio Neves em um segundo turno disputado. Baseados nas últimas informações, avaliamos subjetivamente a probabilidade de uma vitória da oposição em 60 por cento", afirmaram os analistas Tony Volpon e George Lei, da Nomura Securities, em nota a clientes.

Apesar da nova alta do Ibovespa, o analista de renda variável da Leme Investimentos João Pedro Brugger alertou que o nível dos 55 mil pontos é um patamar de resistência para o mercado, que pode encontrar dificuldade para manter o Ibovespa em alta.   Continuação...