Alto executivo do BNP Paribas deixará banco em meio a investigação

quinta-feira, 12 de junho de 2014 07:59 BRT
 

PARIS, 12 Jun (Reuters) - O vice-presidente operacional do BNP Paribas irá deixar o banco no fim de junho e se aposentar completamente em 30 de setembro, anunciou o banco francês nesta quinta-feira, conforme luta com autoridades norte-americanas sobre uma potencial multa de 10 bilhões de dólares.

O regulador bancário dos Estados Unidos pediu a saída do executivo Georges Chodron de Courcel, como parte de um acordo por acusações de violações de sanções contra o Irã, Sudão e outros países, disse uma pessoa familiarizada com o assunto à Reuters em 5 de junho.

O BNP Paribas não mencionou a investigação no anúncio.

Uma porta-voz do banco disse que o executivo planejava se aposentar neste ano de qualquer forma e não iria comentar sobre os procedimentos nos EUA.

O banco disse que Chodron de Courcel "devotou toda sua carreira de 42 anos ao BNP e então ao BNP Paribas, e fez uma contribuição decisiva ao desenvolvimento do grupo, e especialmente ao projeto que eventualmente levou a criação da nova entidade BNP Paribas."

Na quarta-feira, uma pessoa familiarizada com o assunto disse que Vivien Levy-Gaboua, um conselheiro sênior e ex-chefe de compliance do banco francês, também está entre as pessoas no alvo de Benjamin Lawsky, superintendente do Departamento de Serviços Financeiros de Nova York.

As autoridades dos EUA investigam se o BNP infringiu sanções dos EUA entre 2002 e 2009, e se ele escondeu informações de identificação de transferências bancárias para que pudessem passar pelo sistema financeiro dos EUA, sem levantar suspeitas.

(Por Andrew Callus)