Vendas no varejo caem 0,4% em abril, com inflação e crédito restrito

quinta-feira, 12 de junho de 2014 12:10 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - As vendas no varejo brasileiro recuaram 0,4 por cento em abril sobre março, segundo mês seguido de queda, apontando que a fraqueza do consumo se estendeu para o início do segundo trimestre com inflação elevada e crédito restrito.

Em março, as vendas haviam recuado 0,5 por cento, depois de terem ficado estagnadas no mês anterior.Na comparação com abril do ano passado, as vendas subiram 6,7 por cento, após queda de 1,1 por cento no mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira.

Nesse caso, entretanto, o IBGE destacou que o número foi inchado porque a Páscoa ocorreu em abril neste ano, enquanto em 2013 foi em março.

Os número mensal foi ligeiramente pior do que a expectativa em pesquisa da Reuters, cuja mediana apontava queda de 0,20 por cento, mas o dado anual ficou acima da projeção de avanço de 6,20 por cento.

"A inflação impacta mais supermercados, o crédito está mais restrito.. e a renda disponível está menor com despesas e inadimplência", afirmou o economista do IBGE Nilo Lopes, acrescentando que o consumidor também está mais cauteloso sobre o futuro.

A fraqueza foi generalizada entre as atividades, com seis das oito pesquisadas no varejo restrito registrando retração na comparação mensal em volume de vendas.

Entre os destaques, ficou o recuo de 1,4 por cento nas vendas em Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo.

Também mostraram queda mensal Livros, jornais, revistas e papelaria (2,7 por cento) e para Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (2,6 por cento).   Continuação...

 
As vendas no varejo brasileiro recuaram 0,4 por cento em abril sobre março, segundo mês seguido de queda, apontando que a fraqueza do consumo se estendeu para o início do segundo trimestre com inflação elevada e crédito restrito. 24/09/2013 REUTERS/Ricardo Moraes