Dólar fecha em queda ante real por entrada de recursos e BC

sexta-feira, 13 de junho de 2014 17:12 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em leve queda ante o real nesta sexta-feira, após passar a primeira parte do pregão em alta, com movimento de entrada de recursos e o ambiente de intervenções do Banco Central.

A moeda norte-americana recuou 0,13 por cento, a 2,2301 reais na venda, após bater na máxima do dia de 2,2414 reais. O volume ficou em cerca de 1,4 bilhão de dólares, segundo a BM&F.

"O que tem de positivo no câmbio são o ambiente de atuação do BC, as notícias de fluxo, e essas captações externas que estão tendo", afirmou o economista-chefe do banco J.Safra, Carlos Kawall.

Nesta manhã, o BC vendeu 4 mil swaps com vencimento em 2 de fevereiro do próximo ano, com volume equivalente a 198,7 milhões de dólares. Na operação, não foram vendidos contratos para 1º de dezembro deste ano.

Em seguida, vendeu a oferta total de até 10 mil swaps para rolagem dos contratos que vencem em julho. Ao todo, já rolou cerca de 42 por cento do lote total, que corresponde a 10,060 bilhões de dólares.

O ambiente mais positivo do mercado de câmbio brasileiro deve-se também às entradas de recursos. Nesta sessão, um fluxo pontual foi o responsável por levar a moeda norte-americana ao terreno negativo, segundo especialistas.

Depois de o Banco do Brasil captar 2,5 bilhões de dólares, foi a vez do Rioprevidência, fundo de pensão do Estado do Rio de Janeiro, captar 2 bilhões de dólares em títulos de 10 anos.

A intervenção do BC e os fluxos positivos evitaram ainda que a valorização do dólar mais cedo fosse mais forte, como acontecia no exterior. A divisa norte-americana subia frente a outras moedas emergentes, como a lira turca, e de países desenvolvidos, como o iene. Neste caso, após o Banco do Japão não mudar sua política monetária.

A decisão japonesa faz com que investidores busquem aplicações com mais retorno, segundo o analista do Societé Générale, Kit Juckes.

Com o desempenho dessa sessão, fica mais consolidada no mercado a visão de que o dólar voltou a ser negociada entre 2,20 e 2,25 reais, banda informal que tem sido negociado nos últimos meses. Para boa parte do mercado, esse intervalo agradaria ao BC, por não ser inflacionário e não prejudicar as exportações.