Presidente do BC da Alemanha rejeita desvalorização do euro

domingo, 15 de junho de 2014 18:17 BRT
 

BERLIM (Reuters) - O presidente do Bundesbank (banco central) da Alemanha, rejeitou apelos de alguns países europeus pela desvalorização do euro para ajudar exportadores, em entrevista publicada neste domingo.

Em uma pré-divulgação, a revista alemã Focus informou que Jens Weidmann disse que um movimento para enfraquecer a moeda poderia fazer outros bancos centrais a fazer o mesmo, levando a uma corrida de desvalorização que teria apenas perdedores.

"A competitividade não pode ser conseguida através de uma desvalorização. Ela é gerada por empresas com produtos atraentes, que conquistam seu lugar no mercado,” disse Weidmann, visto como o estrategista mais linha dura do BC europeu.

Países da zona do euro, incluindo a França, pediram reuniões para resolver o que consideram ser uma força excessiva do euro, antes do novo Parlamento Europeu vai assumir este ano.

O BCE não mira a taxa de câmbio do euro, mas a força da moeda tem sido vista como uma das contribuintes para a inflação, que ficou aquém da meta do banco central, de pouco menos de 2 por cento.

O euro está sendo negociado atualmente por cerca de 1,35 dólar, ante 1,40 dólar no início do mês passado, enquanto os mercados anteciparam os movimentos feitos no início de junho pelo banco central, para afrouxar a política para estimular o crescimento e evitar a ameaça de deflação.

Uma moeda forte torna as exportações mais caras.

O BCE decidiu, por unanimidade, nesse mês, cortar as taxas de juros para mínimas históricas, levando a taxa dos depósitos no overnight para baixo de zero – e lançar medidas para estimular os empréstimos para pequenas e médias empresas, espinha dorsal da economia da zona do euro.

(Por Annika Breidthard)