Ações da Markit estreiam com valorização na bolsa

quinta-feira, 19 de junho de 2014 14:15 BRT
 

Por Amrutha Gayathri

(Reuters) - As ações da Markit subiram até 12,5 por cento em sua estreia na bolsa, elevando o valor da provedora de dados financeiros para 4,83 bilhões de dólares e garantindo cerca de 1 bilhão de dólares para seus 12 acionistas financeiros.

Refletindo a forte demanda pelas ações, o tamanho da oferta foi aumentado em 17 por cento para 53,5 milhões de ações. A oferta foi estabelecida em 24 dólares por ação, o ponto médio da variação esperada do preço, levantando 1,28 bilhões de dólares.

Todas as ações foram vendidas por acionistas existentes, que incluem os maiores bancos de Wall Street, entre eles o Bank of America, o Goldman Sachs e o JPMorgan.

Após a oferta, a participação combinada dos bancos caiu de 53,2 para 32,7 por cento. Estima-se que os bancos ganharam até 1 bilhão de dólares na oferta.

Os maiores acionistas da empresa -a Employee Benefit, firma de private equity da General Atlantic e a investidora estatal de Cingapura Temasek Holdings - mantiveram suas fatias.

Fundada pelo canadense Lance Uggla em 2001, a Markit, baseada em Londres, tem mais de 3000 clientes institucionais no mundo, incluindo bancos, hedge funds, e gerenciadoras de ativos.

A empresa, que vende dados de precificação e referenciamento e serviços de indexação e avaliação, é concorrente da Thomson Reuters e da Bloomberg, entre outras.

A Markit afirma que os Estados Unidos representam quase metade de sua receita total, enquanto a União Europeia é o segundo maior mercado, contribuindo com cerca de 40 por cento.