Sindicato do setor de platina acaba com greve de 5 meses na África do Sul

segunda-feira, 23 de junho de 2014 18:29 BRT
 

RUSTENBURG (Reuters) - O sindicado AMCU da África do Sul declarou nesta segunda-feira que a greve de cinco meses no setor de platina está "oficialmente encerrada", após milhares de mineiros aprovarem o fim do movimento.

"A greve está oficialmente encerrada", afirmou o líder Joseph Mathunjwa a dezenas de milhares de trabalhadores que lotaram o estádio Royal Bafokeng, em Rustenburg, uma das sedes da Copa do Mundo de futebol de 2010.

O preço à vista de platina caiu 1 por cento, o rand subiu quase 1 por cento em relação ao dólar para máxima de duas semanas e as ações da terceira maior produtora do mundo, a Lonmin subiram cerca de 5 por cento.

Dois dos maiores produtores do metal precioso, a Anglo American Platinum e a Impala Platinum, listados na bolsa de valores de Johanesburgo, também fecharam em alta, perto do fim do discurso de Mathunjwa.

Sob o grito de guerra de um "salário digno", a AMCU tinha inicialmente exigido que os salários básicos mais que dobrassem imediatamente, a 12,5 mil rands (1,2 mil dólares) por mês. No final, seus membros concordaram com reajuste de cerca de 20 por cento, a 1 mil rands por mês.