Exportação de petróleo do sul do Iraque mantém volume quase recorde

segunda-feira, 23 de junho de 2014 18:55 BRT
 

LONDRES, 23 Jun (Reuters) - As exportações de petróleo do Iraque por seus terminais no sul do país estão perto de taxas recorde em junho, a despeito de ataques de insurgentes islâmicos sunitas e a captura de grandes áreas ao norte e ao centro do país, mostraram dados de carregados e fontes da indústria.

A insurgência e a evacuação de alguns funcionários de grandes petroleiras como Exxon Mobil e BP, apesar de tentativas do governo de reforçar a segurança, aumentaram os temores de que as exportações de petróleo do Iraque poderiam desacelerar.

As preocupações elevaram os preços do petróleo, catapultando o Brent à máxima de nove meses, acima de 115 dólares por barril, na quinta-feira.

Autoridades iraquianas dizem que as regiões ao sul do país, que produzem 90 por cento do petróleo do país estão totalmente seguras dos ataques do Estado Islâmico no Iraque e no Levante (Isil, na sigla em inglês).

As exportações de Basra e de outros terminais petroleiros no sul do país ficaram na média de 2,53 milhões de barris por dia (bpd) nos 21 primeiros dias de junho, segundo dados de movimentação de navios monitorados pela Reuters.

Duas fontes da indústria, que também monitoram as exportações, estimaram volumes semelhantes.

"Não acredito que esta agitação terá qualquer impacto em Basra", disse nesta segunda-feira um operador de uma empresa que compra petróleo do Iraque. "O porto fica muito mais ao sul."

A taxa de exportação em junho está perto da média de maio, de 2,58 milhões de bpd, maior patamar desde 2003. No entanto, não é tão alta quanto os 2,7 milhões de bpd que as autoridades iraquianas anunciaram como meta para junho.

"Até agora, as exportações parecem muito estáveis na comparação com o mês passado. Não parece haver nenhuma influência no sul", disse uma fonte da indústria que monitora o movimento de navios petroleiros.

(Por Alex Lawler)