Governador do Paraná diz que pedirá suspensão de reajuste da Copel

terça-feira, 24 de junho de 2014 11:35 BRT
 

SÃO PAULO/BRASÍLIA (Reuters) - O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB-PR), disse em sua conta do Twitter nesta terça-feira que vai pedir à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a suspensão de aplicação do reajuste tarifário da Copel.

"Vamos pedir à Aneel a suspensão da aplicação para buscar uma solução junto com a Copel", escreveu o governador.

A Aneel aprovou um reajuste médio de 35,05 por cento nas tarifas dos consumidores atendidos pela Copel válido a partir desta terça-feira.

Uma fonte do governo do Paraná disse à Reuters também nesta terça-feira que a suspensão valerá até que o governo paranaense tenha uma posição final sobre a aplicação do reajuste -- inclusive se solicitará à Aneel um diferimento, à exemplo do que fez no ano passado.

Nessa hipótese, a empresa aplicaria parte do reajuste neste ano e o restante em reajustes subsequentes. Nos próximos dias, haverá uma reunião da diretoria da Copel com o governo do Paraná, controlador da companhia, disse a fonte.

O índice de reajuste tarifário da Copel, excluindo-se os efeitos dos componentes financeiros do ano passado, ficou, em média, em 30,78 por cento -- inferior ao pedido feito pela empresa de um reajuste (sem esses efeitos financeiros) de 32,45 por cento.

Apesar desse índice que exclui os componentes financeiros aprovado pela Aneel ter ficado menor que o pedido da Copel, Beto Richa escreveu no Twitter: "Fui surpreendido com a decisão do governo federal de aumentar a luz em 35,05 por cento."

No ano passado, a Copel também decidiu não aplicar todo o reajuste aprovado pela Aneel. A empresa optou por um diferimento para que parte do reajuste médio entrasse no cálculo da tarifa de 2014.

Após o posicionamento de Beto Richa no Twitter, a ação da Copel devolveu alta de mais de 3 por cento e passou a cair. Às 11h26, o papel tinha queda de 1,28 por cento, a 32,46 reais.

(Por Anna Flávia Rochas em São Paulo e Leonardo Goy em Brasília)