Copel diz que novo diferimento de reajuste de tarifa pode ser opção

terça-feira, 24 de junho de 2014 14:28 BRT
 

Por Anna Flávia Rochas

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente da Copel, Lindolfo Zimmer, disse nesta terça-feira que o diferimento do reajuste tarifário da distribuidora aprovado para este ano é uma opção que pode ser considerada e que a empresa busca uma solução equilibrada que não prejudique nem consumidores nem ela mesma.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou um reajuste médio de 35,05 por cento na tarifa de energia dos consumidores da companhia. Mas logo após o anúncio o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), disse em sua conta no Twitter que pedirá a suspensão do reajuste, "para buscar uma solução junto com a Copel".

Controlada pelo governo do Estado do Paraná, a Copel já pediu o diferimento do reajuste da tarifa no ano passado, o que foi atendido pela Aneel na época.

"NO ano passado isso (diferimento) já foi feito e concedido. Levando em conta as necessidades da empresa, da distribuidora, da qualidade de energia, do atendimento, quem sabe poderia haver um diferimento diferente daquele que foi feito no ano passado", disse Zimmer, à Reuters.

O executivo disse que a solução final, no entanto, ainda será analisada, após a companhia avaliar todas as informações sobre o reajuste aprovado nesta terça-feira.

"Pode ser possível aliviar sem grandes sacrifícios, ou sacrificando parcialmente, aí todo mundo se sacrifica um pouco -- o consumidor paga um pouco mais, a distribuidora investe um pouco menos e também os acionistas têm que ter um pouco mais de paciência", acrescentou.

O presidente da Copel defendeu ainda que seja encontrado um "ponto de equilíbrio" entre aumento da tarifa e recebimento de receita pela empresa, para manter a companhia saudável financeiramente. "O ideal para a empresa é receber o reajuste integral, o ideal para o consumidor é não pagar reajuste nenhum. Então, nós temos que achar um ponto de equilíbrio onde as partes se sintam adequadamente satisfeitas", disse.

Zimmer disse que o reajuste aprovado pela Aneel "foi uma surpresa", conforme o governador paranaense Beto Richa já havia dito mais cedo.   Continuação...