EUA autorizam exportação de petróleo condensando após refino leve

quarta-feira, 25 de junho de 2014 10:17 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - Autoridades norte-americanas disseram às companhias de energia que elas podem exportar uma variedade de petróleo ultraleve se ele tiver sido minimamente refinado, em um aparente pequeno relaxamento de uma proibição de décadas de exportações de petróleo bruto.

O Escritório de Indústria e Segurança do Departamento de Comércio dos EUA disse à Pioneer Natural Resources, que fazer o petróleo leve, também conhecido como condensado, passar por um estabilizador é processamento suficiente para qualificar o produto como refinado, elegível para exportações sem uma licença.

"O processo de estabilização da planta da Pioneer em Eagle Ford Shale envolve uma unidade de destilação que reduz a pressão do vapor e remove hidrocarbonetos mais leves e voláteis", disse a Pioneer em um comunicado. Este processo qualifica o petróleo para ser exportado, disse a empresa.

O Wall Street Journal disse anteriormente que o Departamento de Comércio, que tem estado sob crescente pressão para reduzir as restrições em meio à uma retomada da produção doméstica de petróleo, havia dado aprovação à Pioneer e à Enterprise Product Partners por meio de uma regra exclusiva, para exportar o chamado condensado.

Procurada, a Enterprise não se manifestou.

O Departamento de Comércio, por meio da assessoria de imprensa, não comentou a determinação específica mas disse à Reuters que não houve "nenhuma mudança na política" em relação às exportações de petróleo, um dos assuntos mais controversos na indústria de petróleo dos EUA este ano.

(Por Ros Krasny, Timothy Gardner e Valerie Volcovici)