Ucrânia assina acordo comercial com a UE; Rússia alerta para "graves consequências"

sexta-feira, 27 de junho de 2014 07:41 BRT
 

BRUXELAS, 27 Jun (Reuters) - A Ucrânia assinou nesta sexta-feira um acordo de livre comércio com a União Europeia (UE) que era o centro de meses de violência e revoltas no país, o que provocou a imediata ameaça russa de "consequências graves".

A Geórgia e a Moldávia assinaram acordos semelhantes, o que aponta para a perspectiva de ampla integração econômica e livre acesso ao mercado da UE, de 500 milhões de habitantes. Os pactos alarmaram o governo russo, que teme perder influência sobre as ex-repúblicas soviéticas.

"Ao longo dos últimos meses a Ucrânia pagou o mais alto preço possível para fazer com que seu sonho europeu se tornasse realidade", disse o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, aos lideres europeus na cerimônia de assinatura em Bruxelas.

O vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Grigory Karasin, reagiu imediatamente dizendo que haveria "graves consequências" para a Ucrânia, segundo informou a agência russa Interfax.

A decisão do ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovich de desistir de assinar o acordo com a UE em novembro, preferindo estreitar os laços com Moscou, desencadeou meses de protesto de rua que, por fim, levaram à sua destituição do poder e fuga do país.

Logo depois, a Rússia anexou a região ucraniana da Crimeia, o que provocou indignação e sanções dos Estados Unidos e da UE.

(Reportagem de Robin Emmott e Adrian Croft)