Arrecadação no Brasil tem queda anual de quase 6% e soma R$87,9 bi em maio

sexta-feira, 27 de junho de 2014 10:14 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - Economia em ritmo lento, renúncias fiscais elevadas e ausência de receita extraordinária fizeram a arrecadação tributária de maio ter queda real de 5,95 por cento sobre um ano antes, somando 87,897 bilhões de reais.

A cifra, divulgada nesta sexta-feira pela Receita Federal, é a pior para maio em três anos, com as receitas registrando a primeira retração anual neste ano.

Pesquisa Reuters feita com analistas do mercado mostrou que a mediana das expectativas era de que a arrecadação somaria 90 bilhões de reais no mês passado.

Além da economia patinando neste ano, que acaba afetando o recolhimento de impostos, pesou no resultado negativo do mês passado a renúncia tributária de 8,439 bilhões de reais, informou a Receita.

A forte queda real (descontada a inflação) na comparação com o ano passado também veio porque, em maio daquele ano, o governo contou com receita extraordinária de 4 bilhões de reais, que não se repetiu agora.

No acumulado do ano até maio, a arrecadação somou 487,207 bilhões de reais, segundo a Receita, com aumento real de 0,31 por cento em relação a igual período de 2013.

A Receita recentemente reduziu para em torno de 3 por cento, sobre a faixa de 3 a 3,5 por cento, a previsão de expansão real da arrecadação em 2014, abaixo do crescimento de 4,08 por cento visto em 2013.

Neste cenário de receitas crescendo menos, o governo tem sofrido para cumprir a meta de superávit primário --economia feita para pagamento de juros da dívida-- neste ano, de 99 bilhões de reais, ou 1,9 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

(Por Luciana Otoni; Edição de Patrícia Duarte)