Chinesa Cofco acompanha Wilmar e MSF e vai vender diretamente açúcar australiano

segunda-feira, 30 de junho de 2014 11:53 BRT
 

SYDNEY (Reuters) - A Tully Sugar, unidade australiana da gigante chinesa do agronegócio Cofco, vai interromper a partir de 2017 a venda de açúcar por meio de uma comercializadora que reúne indústrias do país, em mais um capítulo da reestruturação que abala a terceira maior fornecedora global de açúcar bruto.

O movimento por parte da Tully Sugar ocorre depois que a Wilmar International WLIL.SI e a MSF Sugar, de propriedade da gigante tailandesa Mitr Phol, anunciaram que vão encerrar os acordos e sair da Queensland Sugar Limited (QSL), uma comercializadora que reunia as principais usinas do país.

O distanciamento do modelo de mesa única de comercialização sofre resistência por parte dos produtores rurais que abastecem as indústrias, sob a alegação de que a precificação pode se tornar menos transparente.

No entanto, a Tully Sugar disse que depois que a Wilmar e a MSF anunciaram sua saída, não houve opção além de acompanhar o movimento.

"As recentes decisões da Wilmar e da MSF Sugar de cancelar seus acordos até o fim da temporada 2016 significa que a QSL vai perder mais de 70 por cento do seu volume de exportação e sua vantagem competitiva no mercado", disse Alick Osborne, presidente da Tully Sugar.

"Isso representa riscos inaceitáveis para nosso negócios e nossos fornecedores."

A Wilmar disse que decidiu sair da QSL por considerar que conseguirá melhores preços por meio de sua própria divisão de comercialização. A MSF disse que estava preocupada com o futuro da QSL sem a Wilmar.

A saída das três maiores processadoras de açúcar levanta dúvidas sobre o futuro do modelo tradicional de uma mesa unificada de comercialização.

A QSL reconheceu o desejo para um novo modelo de vendas, mas disse que um modelo colaborativo é necessário para evitar um colapso na confiança dos produtores.   Continuação...