Governo federal prorroga alíquotas reduzidas do IPI de veículos e móveis

segunda-feira, 30 de junho de 2014 21:01 BRT
 

Por Aluísio Alves e Patricia Duarte

SÃO PAULO (Reuters) - O governo federal cedeu à pressão das montadoras de automóveis e indústrias de móveis e prorrogou mais uma vez as alíquotas tributárias reduzidas para estes setores, em uma tentativa de evitar demissões a poucos meses da eleição presidencial.

As alíquotas menores do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que deveriam subir a partir de terça-feira, valerão até o fim de 2014. Somados, os benefícios para ambos os setores implicarão renúncia fiscal de quase 1 bilhão de reais.

"Temos que tomar medidas para viabilizar um segundo semestre melhor", disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega, a jornalistas, ao lado do presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, com quem se reunira minutos antes para negociar as condições do novo apoio estatal. Pouco depois, Mantega reuniu-se com representantes da indústria de móveis para em seguida anunciar o mesmo benefício para o setor.

A contrapartida das fabricantes de veículos será manter os empregos nessa indústria, que enfrenta queda das vendas e da produção, refletindo a pálida expansão da economia doméstica, maior seletividade dos bancos na oferta de crédito e uma queda abrupta nas exportações.

"Se a medida (extensão da alíquota menor) não viesse, seria extremamente negativo", disse Moan.

A indústria automotiva, que representa cerca de um quarto do PIB industrial do país, tem ajustado a produção com medidas que incluem antecipação de férias, programas de demissão voluntária e suspensão de contratos de trabalho. Mas já vinha indicando que poderia fazer demissões, caso as vendas continuassem em queda.

Mais cedo nesta segunda-feira, uma fonte com acesso a números preliminares do setor afirmou que as vendas de veículos novos no Brasil em junho recuaram 11 por cento ante igual mês de 2013, pela média de licenciamentos de carros e comerciais leves por dia útil. No ano até maio, a produção de veículos do Brasil acumula queda de mais de 13 por cento sobre o mesmo período de 2013.

A Anfavea divulga dados consolidados do setor referentes a junho na próxima segunda-feira. A associação de concessionários, Fenabrave, publica dados de vendas na quarta-feira.   Continuação...