Ambev pode buscar alvos na América Latina conforme Brasil desacelera, diz Goldman

quarta-feira, 2 de julho de 2014 14:09 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Ambev provavelmente buscará aquisições na América Latina à medida que o crescimento desacelera em seu mercado doméstico no Brasil, disseram analistas do Goldman Sachs Group em um relatório.

A Ambev, maior cervejaria da América Latina, atualmente gera 65 por cento de sua receita e 71 por cento de seu lucro operacional no Brasil. Mesmo que a expansão orgânica ainda seja possível, a Ambev se sairia melhor comprando rivais menores para combater a concorrência da SABMiller, disseram analistas liderados por Luca Cipiccia em uma nota na terça-feira.

Cipiccia e sua equipe esperam que o volume de vendas e o crescimento do lucro desacelerem no Brasil após a Copa do Mundo, que termina em 13 de julho. Enquanto os volumes da Ambev no Brasil podem ser fortes neste ano, graças a uma base de comparação anual favorável e a uma onda de calor que impulsionou o consumo de cervejas, uma desaceleração é esperada na segunda metade de 2014 e em 2015.

"A administração da Ambev pode ser incentivada a acelerar o crescimento na região e rebalancear o mix de negócios fora do mercado doméstico", disse a nota. "No entanto, oportunidades significativas de expansão orgânica e aquisições nos mercados atuais da Ambev são escassas e limitadas em tamanho, levando em conta suas posições já dominantes".

A Ambev é uma unidade da Anheuser-Busch Inbev, a maior cervejaria do mundo.

As ações da companhia perdiam 0,5 por cento às 14h02, a 15,95 reais, com o Ibovespa recuando 0,32 por cento.

(Por Guillermo Parra-Bernal)