Crescimento do emprego nos EUA dispara e desemprego cai para perto de mínima de 6 anos

quinta-feira, 3 de julho de 2014 12:27 BRT
 

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - O crescimento do emprego nos Estados Unidos saltou em junho e a taxa de desemprego caiu para 6,1 por cento, perto da mínima em seis anos, provando decisivamente que a economia está crescendo em ritmo acelerado após os problemas no começo do ano.

Foram criados 288 mil empregos fora do setor agrícola no mês passado, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira. Os dados para abril e para foram revisados para mostrar um total de 29 mil empregos a mais maio criados do que o relatado anteriormente.

"É um relatório extremamente positivo. Não acho que seria possível ter uma leitura ainda mais forte", disse o economista sênior para os EUA da RBC Capital Markets, Jacob Oubina.

Com isso, o mercado de trabalho marca o quinto mês consecutivo de crescimento superior a 200 mil postos de trabalho. É a primeira vez que isso acontece desde o boom da tecnologia, no fim da década de 1990.

A economia dos EUA criou, em média, 231 mil postos de trabalho por mês neste ano, a maior média em seis meses desde 2006.

Os dados impulsionaram as ações norte-americanas, com o índice Dow Jones cruzando o marco dos 17 mil pontos pela primeira vez. Os preços dos títulos da dívida pública norte-americana caíram, enquanto o dólar subiu contra várias das principais moedas. Operadores apostavam que o Federal Reserve, banco central dos EUA, elevará as taxas de juros mais cedo do que se esperava.

O JPMorgan adiantou sua previsão sobre quando virá a alta dos juros para o terceiro trimestre do ano que vem. Na estimativa anterior, o banco esperava que o aperto monetário tivesse início no quarto trimestre.

Já os contratos de futuros de taxas de juros se ajustaram de forma a mostrar probabilidade de 55 por cento de alta nos juros em junho de 2015.   Continuação...