Aécio diz que irá rever decisões recentes de Dilma relativas à Petrobras

quinta-feira, 3 de julho de 2014 18:51 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, criticou decisões "açodadas e equivocadas" quem vêm sendo tomadas pela presidente Dilma Rousseff, como a antecipação do óleo excedente da cessão onerosa para a Petrobras, e prometeu revisá-las em um eventual governo tucano.

“Vamos discutir a luz do dia, e não nas madrugadas insones do governo, medidas que sejam mais eficazes para o país e a própria Petrobras”, disse ele a jornalistas no Rio de Janeiro.

No fim do mês passado, o governo federal decidiu contratar diretamente a Petrobras para explorar o óleo excedente em quatro áreas da chamada cessão onerosa, no pré-sal, o que deve garantir à estatal reservas adicionais entre 10 bilhões e 15 bilhões de barris. A Petrobras terá que desembolsar 15 bilhões de reais em bônus e antecipações para explorar as áreas, o que levou o mercado a criticar a decisão.

O tucano acrescentou que o governo petista tem sido marcado nesse último ano de mandato de Dilma por “improvisos” e “sem avaliação racional” de suas consequências.

“Algumas delas inclusive em relação a Petrobras. Vamos ter calma para avaliar cada uma delas.”

O candidato do PSDB recebeu do coordenador do programa de governo, o ex-governador de Minas Gerais Antonio Anastasia, as diretrizes do programa tucano. “Nas nossas diretrizes vocês poderão ver alguma coisa sobre Petrobras também”, destacou ele sem entrar em detalhes.

O documento será protocolado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no próximo sábado.

As diretrizes visam, segundo Anastasia, melhorar o bem estar social da população e incluiu a realização de reformas, como tributária, segurança pública, política e de infraestrutura.

Segundo o PSDB, as diretrizes não são imutáveis e haverá um canal para que a sociedade possa fazer propostas e sugestões.   Continuação...