Eletropaulo diz que revisão tarifária precisa refletir riscos do setor

quinta-feira, 3 de julho de 2014 19:55 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Eletropaulo, distribuidora de energia que atua na região da Grande São Paulo, considera que a proposta da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para o custo médio ponderado de capital (Wacc) para o quarto ciclo de revisão tarifária não reflete os riscos do setor de distribuição de energia.

"Nossa visão preliminar é que não retrata o quadro de risco que a gente tem assistido nas distribuidoras de energia, no setor como um todo, e portanto a gente vai trabalhar para ter uma estrutura de wacc que seja compatível com o quadro do setor de distribuição", disse o presidente-executivo da Eletropaulo, Britaldo Soares.

A Aneel propôs um wacc de 7,16 por cento para o quarto ciclo de revisão tarifária das distribuidoras, valor menor que os 7,5 por cento definido para o terceiro ciclo.

Britaldo lembrou que as propostas apresentadas pela Aneel não são definitivas e estão sujeitas a discussão até 1 de setembro.

Ele disse ser prematuro antecipar qual seria o wacc ideal, já que a empresa busca uma metodologia de cálculo que resulte em um número que considere os riscos do setor.

O executivo disse que o risco regulatório do setor não está presente atualmente na metodologia utilizada, um dos pontos que devem ser discutidos com a Aneel.

A revisão tarifária das distribuidoras ocorre a cada quatro anos, com objetivo de preservar o equilíbrio econômico- financeiro da concessão.

"A nossa confiança é que no quarto ciclo nós vamos ter condições apropriadas à sustentabilidade das distribuidoras e para responder adequadamente aos investimentos que as distribuidoras precisam fazer", afirmou.

Britaldo acrescentou que o reajuste é positivo por reconhecer custos maiores de energia na tarifa, e que o principal componente do reajuste tarifário aprovado para a Eletropaulo não afeta as margens da companhia.   Continuação...