Ampla oferta traz incerteza para exportações de milho do Brasil no 2º semestre

quinta-feira, 3 de julho de 2014 20:45 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado brasileiro de milho deve viver um segundo semestre turbulento, com uma ampla oferta global provocando fragilidade nos preços e incerteza sobre volumes a serem exportados pelo país, em cenário bem diferente do registrado na segunda metade de 2013.

Os principais Estados produtores estão começando a colher a segunda safra da temporada 2013/14 que, apesar de não ser recorde como a do ano passado, está muito perto disso.

O governo projeta colheita de 77,9 milhões de toneladas, pouco abaixo do volume histórico de 81,5 milhões produzido em 2013/14.

Boa parte desse milho chegará ao mercado quase junto com uma safra recorde dos Estados Unidos, maior exportador e grande concorrente do Brasil.

Neste contexto, os preços domésticos e internacionais estão despencando, tornando menos certa a posição no Brasil no mercado externo.

"Produto vai ter e a logística está tranquila. O que falta mesmo é preço competitivo e demanda", disse uma analista de pesquisa de uma trading internacional que atua no Brasil.

Ao longo de 2013, quando os estoques nos EUA ainda estavam reduzidos após a safra prejudicada pelo clima, muitos compradores internacionais voltaram-se para o Brasil, que registrou exportações recordes, de mais de 26 milhões de toneladas.

Em 2014, a situação parece ser diferente.   Continuação...