4 de Julho de 2014 / às 21:03 / 3 anos atrás

Preço de energia de curto prazo tem forte alta, com previsão de menos chuva

SÃO PAULO (Reuters) - O valor da energia elétrica no curto prazo dado pelo Preço de Liquidação de Diferenças (PLD) teve forte alta, para acima dos 500 reais por megawatt-hora (MWh), em praticamente todas as regiões do país em um reflexo de redução de chuvas previstas.

“O comportamento do PLD foi influenciado pela redução das afluências previstas e dos níveis iniciais de armazenamento, que contribuíram para a elevação em 49 por cento do PLD em relação à semana anterior nos submercados Sudeste/Centro-Oeste, Nordeste e Norte”, informou a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), nesta sexta-feira.

O preço médio fixado para essas regiões foi de 547,79 reais por MWh para a próxima semana, ante 368,53 reais nesta semana. O preço médio do Sul, que estava no valor mínimo de 15,62 reais, subiu quase 23 vezes para 356,66 reais, em média.

“Apesar das condições favoráveis de armazenamento no Sul no início da segunda semana de julho – proporcionadas pelas vazões cerca de cinco vezes a média histórica para o período da região (Sul) –, a expectativa de afluências para região em julho está menos otimista em função da atenuação das frentes frias”, informou a CCEE.

Esse fator deverá reduzir consideravelmente as vazões das próximas semanas, embora ainda permaneçam acima da média histórica para o mês. “Neste cenário ainda será possível o envio máximo de energia do Sul para o Sudeste, limitado pela capacidade de intercâmbio elétrico de uma região para outra”, disse a CCEE.

A queda na intensidade das frentes frias deverá também impactar a região Sudeste, provocando redução nas chuvas nesse submercado.

Para a semana de 5 a 11 de julho, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) prevê que uma frente fria associada a áreas de instabilidade ocasionará chuva fraca a moderada nas bacias dos rios Jacuí e Uruguai e fraca nas bacias dos rios Iguaçu e Paranapanema.

A geração termelétrica indicada para a próxima semana é de 15,9 gigawatts-hora (GWh), o que significa a manutenção de forte geração termelétrica acionada para colaborar para reduzir a queda do nível das represas das hidrelétricas do país.

CONSUMO DE ENERGIA

A CCEE informou ainda que é esperada queda da temperatura no Sul do país na semana que vem, o que deve resultar em um pequeno aumento no consumo de energia quando comparada com a expectativa da semana passada. Queda na temperatura significa em maior uso de aquecedores de ambientes.

As outras regiões do país ainda deverão manter o comportamento de queda no consumo de energia motivado pela realização da Copa do Mundo e feriados em dias de jogos em algumas cidades.

O ONS reduziu a estimativa de aumento de consumo de carga no Brasil em julho de alta de 1,7 por cento, na semana passada, para alta de 1,3 por cento.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below