Economistas veem PIB crescendo menos e indústria em queda no Brasil em 2014

segunda-feira, 7 de julho de 2014 11:23 BRT
 

Por Patrícia Duarte

SÃO PAULO (Reuters) - Pela sexta semana seguida, economistas de instituições financeiras reduziram suas previsões de expansão da economia brasileira neste ano, vendo queda ainda maior da indústria, mas ainda insuficientes para aliviarem a pressão sobre a inflação.

O Produto Interno Bruto (PIB) do país deve crescer apenas 1,07 por cento em 2014, expansão inferior ao avanço de 1,10 por cento previstos até então pela mediana dos especialistas consultados, mostrou a pesquisa semanal Focus do Banco Central nesta segunda-feira.

O cenário para a produção industrial é ainda pior, com expectativas de contração de 0,67 por cento neste ano, ante queda de 0,14 por cento. Na semana passada, foi divulgado que a produção industrial do Brasil recuou 0,6 por cento em maio, terceiro mês seguido de resultado negativo e mais uma vez com fraqueza dos investimentos.[nL2N0PD0IK]

Para 2015, a pesquisa Focus mostrou que a mediana das estimativas não mudou sobre a expansão do PIB, a 1,50 por cento, mas também houve redução para a produção industrial, com crescimento de 2,10 por cento, ante 2,20 por cento.

Em 2013, o PIB brasileiro cresceu 2,5 por cento.

INFLAÇÃO ELEVADA

Nem mesmo a esperada perda de força na atividade foi suficiente para aliviar as expectativas sobre a inflação, com os economistas mantendo a previsão de que o IPCA fechará este ano e 2015 com alta de 6,46 e 6,10 por cento, respectivamente.   Continuação...

 
Pela sexta semana seguida, economistas reduziram suas previsões de expansão da economia brasileira neste ano, vendo queda maior da indústria, mas insuficientes para aliviarem a pressão sobre a inflação. 24/06/2014 REUTERS/Jianan Yu