Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caem e indicam melhora do mercado de trabalho

quinta-feira, 10 de julho de 2014 09:45 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego caiu na semana passada para um de seus menores níveis desde antes da recessão de 2007-2009, em um sinal de uma melhora na saúde do mercado de trabalho.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego caíram em 11 mil, para 304 mil segundo dados ajustados sazonalmente, na semana que terminou em 5 de julho, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira.

Economistas consultados pela Reuters projetavam que o número de pedidos de auxílio-desemprego ficariam estáveis em 315 mil na semana passada.

Empregadores cortaram suas folhas de pagamento durante a profunda recessão do país, mas o longo ciclo de demissões agressivas parece agora ter acabado.

A média móvel de quatro semanas para novos pedidos, considerada uma medida melhor das condições do mercado de trabalho pois atenua a volatilidade semanal, caiu em 3.500, para 311.500, na semana passada. Essa foi a segunda menor leitura da média móvel desde agosto de 2007. Após cair firmemente durante vários anos, a média móvel tem ficado amplamente inalterada desde a primavera no hemisfério norte.

(Reportagem de Jason Lange)