Regulador português avalia compra da dívida da RioForte pela Portugal Telecom

quinta-feira, 10 de julho de 2014 10:49 BRT
 

LISBOA (Reuters) - A Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), órgão regulador do mercado de capitais de Portugal, está averiguando a recente compra feita pela Portugal Telecom (PT) de 897 milhões de euros em papéis comerciais da RioForte do Grupo Espírito Santo (GES), cuja divisão não-financeiro passa por dificuldades, segundo fontes.

A Espírito Santo Financial Grupo (ESFG) [ESTL.LU], uma "subholding" da Rioforte, é a maior acionista do Banco Espírito Santo (BES) que, por sua vez, é o maior acionista da Portugal Telecom. A companhia portuguesa de telecomunicações também possui uma participação no BES.

As ações da Portugal Telecom têm caído para mínimas históricas, penalizadas pelo investimento no papel comercial da RioForte, que segundo alguns analistas, corre o risco de não cumprir os pagamentos em 15 e 17 de julho.

Ontem, o suíço Banque Privée Espírito Santo, da ESFG, disse que alguns instrumentos de dívida da Espírito Santo International (ESI) detidos por clientes não foram reembolsados no vencimento, sendo que o banco não tem responsabilidade sobre esse atraso.

Uma fonte com conhecimento do assunto disse que a CMVM está analisando o financiamento dado pela PT à RioForte -- uma acionista sua -- para saber se houve violação das regras relativas a "partes relacionadas".

A fonte adiantou que está sendo averiguado se a PT cumpriu normas, por exemplo de informação, sobre esta operação que pode afetar significativamente sua situação financeira.

Outra fonte afirmou que ainda não há uma investigação formal sobre a PT, mas que a operação em questão já está sendo analisada pelo regulador.

Uma fonte oficial da CMVM não quis comentar.

O investimento da PT na RioForte gerou mal-estar nas relações com a brasileira OI, com quem está em processo de fusão.

(Por Sérgio Gonçalves)