Dólar fecha praticamente estável ante real, com alívio na Europa e BC

sexta-feira, 11 de julho de 2014 17:10 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou praticamente estável ante o real nesta sexta-feira, em dia de agenda fraca e após o banco português Espírito Santo dissipar o nervosismo do mercado que impulsionou a moeda norte-americana nas praças financeiras globais na véspera.

Também ajudou neste cenário a constante atuação do Banco Central no mercado de câmbio doméstico, que em mantido a divisa dos Estados Unidos dentro da banda informal de 2,20 a 2,25 reais.

O dólar registrou leve baixa de 0,04 por cento, a 2,2215 reais na venda, acumulando alta de apenas 0,27 por cento na semana. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,2 bilhão de dólares.

"Não tivemos notícias relevantes, então o mercado sossegou", afirmou o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo, que descreveu a agenda econômica desta sessão como "desértica".

O Banco Espírito Santo, que nos últimos dias alimentou preocupações sobre a saúde financeira do sistema bancário português nos mercados, informou nesta sexta-feira que as perdas associadas à família fundadora não afetarão o banco.

Com isso, o dólar oscilou levemente também contra moedas como o euro e o peso mexicano, após valorizar-se na véspera.

Segundo o operador da corretora B&T Marcos Trabbold, sem grandes direcionadores, o dólar continua dentro da banda informal de 2,20 a 2,25 reais. Boa parte do mercado acredita que esses patamares agradariam ao BC por não serem inflacionários e não prejudicarem as exportações.

Pela manhã, o BC deu continuidade às intervenções diárias, vendendo a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares. Foram 3,5 mil contratos para 2 de fevereiro e 500 para 1º de junho de 2015, com volume equivalente a 198,7 milhões de dólares.

Em seguida, vendeu a oferta total de até 7 mil swaps para rolagem dos contratos que vencem em agosto. Ao todo, o BC já rolou cerca de 22 por cento do lote total, que corresponde a 9,457 bilhões de dólares.

"O BC não deixa o dólar se mexer", resumiu o operador de câmbio da corretora Intercam Glauber Romano.