Seguradora italiana Generali vende private bank para BTG por US$1,7 bi

segunda-feira, 14 de julho de 2014 07:44 BRT
 

MILÃO (Reuters) - A seguradora italiana Generali acertou a venda do private bank suíço BSI para o brasileiro BTG Pactual por 1,5 bilhão de francos suíços (1,7 bilhão de dólares) em dinheiro e ações, se desfazendo de uma unidade deficitária e aumentando sua solidez financeira.

Para o BTG Pactual, o negócio implica uma expansão da área de gestão de recursos, com a adição de uma grande presença na Suíça.

O acordo, que o presidente-executivo da Generali, Mario Greco, chamou de "operação complexa", põe fim a mais de dois anos de pesquisa da Generali para encontrar um comprador adequado para um ativo que perdera apelo diante da implacável pressão dos Estados Unidos e outras nações ocidentais em relação ao sigilo bancário suíço.

A Generali, que tinha comprado o private bank suíço por cerca de 1,9 bilhão de francos suíços em 1998, esperava obter um montante semelhante com a venda da unidade. Mas, no final, a instituição foi forçada a aceitar um preço menor e vai registrar prejuízo líquido de 100 milhões de euros (136,4 milhões de dólares) com a transação.

Com o negócio, a seguradora completa um agressivo plano de desinvestimentos, vendendo 3,7 bilhões de euros em ativos não relacionados à área de seguros em cerca de 18 meses. A meta era de 4 bilhões de euros.

Sob os termos do acordo, a parcela que a Generali receberá em dinheiro será de 1,2 bilhão de francos suíços. Os 300 milhões restantes serão entregues em ações ordinárias e preferenciais do BTG Pactual.

A transação, sujeita à aprovação regulatória, deve ser concluída no primeiro semestre de 2015.

Representantes do BTG Pactual não puderam ser contatados de imediato para comentar o assunto.

(Por Lisa Jucca)