Promotores de Portugal investigam grupo Espírito Santo

sexta-feira, 18 de julho de 2014 08:04 BRT
 

LISBOA (Reuters) - Promotores portugueses estão investigando o império empresarial da família Espírito Santo, enquanto investidores se preparam para mover uma ação judicial em função do não pagamento de dívida por parte de uma empresa de propriedade da família.

Divulgações recentes de irregularidades financeiras em uma teia de empresas controladas pelo clã têm levantado dúvidas sobre perdas potencialmente desestabilizadores no Banco Espírito Santo (BES), o maior banco listado de Portugal e do qual a família é a maior acionista.

"O gabinete da promotoria pública está acompanhando a situação, recolhendo desde o início todos os elementos que se tornaram públicos e analisando sua relevância penal", disse a promotoria em um comunicado enviado por email à Reuters nesta sexta-feira.

"Há investigações em curso relacionadas com este assunto que até mesmo antecedem as divulgações das últimas semanas."

Nesta semana, uma holding da família chamada Rioforte falhou em pagar mais de 1 bilhão de dólares em dívida à Portugal Telecom, forçando o grupo de telecomunicações a aceitar um corte em sua parte na empresa resultante da fusão com a brasileira Oi.

Os executivos da Portugal Telecom, na qual a família Espírito Santo tem uma participação significativa, sabiam que o clã tinha problemas antes de lhe emprestarem o montante em abril, disseram à Reuters pessoas familiarizadas com o assunto.

Questionado especificamente sobre qualquer investigação do investimento da Portugal Telecom na Rioforte, a promotoria não quis comentar, dizendo apenas que estava acompanhando a situação do grupo Espírito Santo como um todo.

Fontes disseram à Reuters que a Portugal Telecom estava considerando processar o BES devido ao não pagamento, já que a dívida foi comprada com recursos depositados em contas bancárias do BES, sendo considerada livre de risco pela empresa de telecomunicações. Tais processos poderiam, potencialmente, aumentar o passivo do BES.

A Portugal Telecom, por sua vez, também enfrentará uma ação judicial movida por vários investidores minoritários que deverá ser submetida nesta sexta-feira, em função de sua suposta falha em avaliar corretamente os riscos da dívida.   Continuação...