Petrobras tem até 2017 para construir térmica Azulão no Amazonas, diz ANP

segunda-feira, 21 de julho de 2014 16:31 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras tem até 2017 para construir e iniciar a operação da termelétrica a gás Azulão, no município de Silves, no Amazonas, sob pena de perder o contrato de concessão do campo de gás de Azulão, descoberto há 15 anos na floresta amazônica.

A informação está na ata de reunião da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizada neste mês. A autarquia, a pedido da estatal, revisou o plano de desenvolvimento do campo de gás.

A térmica, que terá potência instalada de 102 megawatts, utilizará a produção de gás do campo, localizado na Bacia do Amazonas, para a geração de energia, que será escoada pela linha de transmissão Tucuruí-Macapá-Manaus, concluída no ano passado.

A comercialização da energia da usina por meio de leilões do governo deverá começar em 2019.

"Devido as características do projeto e do Leilão A-5 (com entrega da energia em cinco anos) de 2014, a Petrobras direcionou o projeto para este Leilão A-5", informou a estatal à Reuters.

O próximo leilão A-5 está previsto para 30 de setembro.

A Petrobras não divulgou o valor do projeto, observando que o custo da usina é um dos fatores que demonstram o nível de competitividade para o leilão --o total a ser investido só será anunciado se o projeto vencer o certame.

Caso o projeto contrate energia no A-5 e seja concluído no prazo determinado pela ANP, até janeiro de 2017, a térmica permanecerá descontratada por dois anos.

A solução seria vender energia de forma antecipada no mercado livre.   Continuação...