Ibope mostra Dilma com 38% e Aécio com 22%; presidente venceria 2º turno

terça-feira, 22 de julho de 2014 22:51 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira mostrou estabilidade na corrida presidencial e na avaliação do governo em relação ao levantamento realizado em meados de junho, com a presidente Dilma Rousseff mantendo a liderança nas intenções de voto e vencendo as eleições em um eventual segundo turno.

Dilma aparece com 38 por cento das intenções de voto, contra 22 por cento do candidato do PSDB, Aécio Neves, e 8 por cento de Eduardo Campos, do PSB. No levantamento anterior do Ibope, Dilma aparecia com 39 por cento, Aécio com 21 por cento e Campos com 10 por cento.

Este é o primeiro levantamento do Ibope desde que as candidaturas foram oficializadas, e o instituto apontou que 16 por cento declararam voto branco ou nulo e 9 por cento não souberam responder.

A pesquisa, encomendada pela TV Globo em parceria com o jornal O Estado de S.Paulo, também mostrou vitória de Dilma em eventual disputa em segundo turno contra Aécio ou Campos, mas com vantagem menor.

Numa disputa com Aécio, Dilma venceria as eleições com 41 por cento das intenções de voto, contra 33 por cento do tucano, ante 43 por cento e 30 por cento, respectivamente, no levantamento anterior. Neste levantamento, 18 por cento declararam voto branco ou nulo e 8 por cento não souberam responder.

Já num embate com Campos, Dilma também venceria com 41 por cento, ante 29 por cento do socialista, ante 43 por cento e 27 por cento no levantamento anterior. Os votos brancos e nulos somam 20 por cento e os que não souberam responder, 10 por cento.

Pesquisa Datafolha divulgada na semana passada mostrou um cenário diferente em um eventual segundo turno, com Dilma e Aécio tecnicamente empatados no limite da margem de erro.

A nova pesquisa Ibope mostrou estabilidade também na avaliação do governo Dilma em relação a junho, com 31 por cento classificando a administração como boa/ótima, enquanto a avaliação péssima/ruim se manteve em 33 por cento. A taxa regular foi de 36 por cento, ante 34 por cento em junho.

O índice de aprovação do governo também manteve-se estável, com 50 por cento dos entrevistados dizendo que desaprovam o governo e 44 por cento, que aprovam.   Continuação...

 
A presidente Dilma Rousseff antes de uma reunião no Palácio da Alvorada, em Brasília, na semana passada. 18/07/2014 REUTERS/Ueslei Marcelino